LA Music | Desafio Musical PT
17580
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-17580,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,qode-title-hidden,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-6.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.4.3,vc_responsive

Para além do jazz, em que a improvisação obedece, mesmo assim, a algumas regras pré-definidas, a música totalmente improvisada passou a ser uma arte quase exclusivamente ligada aos organistas. António Victorino D’Almeida e Luiz Avellar descobriram que existia uma forte possibilidade de recrearem essa antiga tradição, numa experiência que se tem revelado fascinante para todos aqueles que já tiveram a oportunidade de os acompanhar na sua aventura, efetivamente fora do comum.

 

Maestro António Victorino D’Almeida

Maestro, pianista e compositor, António Vitorino d’Almeida dispensa apresentações. Aos cinco anos compôs a sua primeira obra, aos sete deu a primeira audição e interpretou obras de Mozart e Beethoven, para além de duas peças de sua autoria. Conclui com mérito o curso superior de Piano no Conservatório Nacional de Lisboa e vai estudar para Viena de Áustria, na Academia de Música, onde finaliza esta pós-graduação com a mais alta classificação dada por aquela escola: a distinção por unanimidade do júri e consequentemente Prémio Especial do Ministério da Cultura da Áustria, país onde viveu duas décadas tornando-se Adido Cultural da Embaixada Portuguesa em Viana, cargo que lhe valeu uma honrosa condecoração.

 

A sua obra é muito vasta, e abrange os mais variados géneros musicais, desde a música a solo, para piano e outros instrumentos, à música de câmara, música sinfónica e coral-sinfónica, ao “Lied” ou ópera, além de muita música para cinema ou para teatro e fado, sendo sem dúvida um dos compositores portugueses que mais obra produziu.

 

Tem a sua música publicada na AvA Musical Editions.

 

A 9 de Junho de 2005 foi feito Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Artistas:

Luiz Avellar
António Vitorino d’Almeida